quinta-feira, janeiro 28, 2010

mesmo com lágrimas no canto dos olhos


Por vezes faz bem parar no tempo (na vida) para pensar no que se fez,... no que se está a fazer,... e qual o caminho a seguir daqui para a frente,... penso hoje nisto! que vida é a minha (nossa) se não vale de nada para os outros? Se valer para uma pessoa já vale muito,... então para Deus ela vale tudo! Vale a pena pensar mais do que isto? Se calhar vale, ou talvez não. É bom parar e fazer alguns silêncios que podem incomodar, mas que nos apontam um caminho a seguir e um lugar ou momento para onde nos dirigir. Confio-me nas mãos de Deus e não nas mãos do mundo. O mundo leva-nos a errar e a enveredar por lugares mais escuros onde nunca imaginámos entrar. É tão bom ver alguém que sorri, mas que sorri com o sentimento de sinceridade, verdade e doação (mesmo com lágrimas no canto dos olhos)!!! É mesmo bom! Este é o rosto que me leva a dizer e a pensar hoje e sempre que nós quando estamos nas mãos de Deus estamos bem! Mas se ficamos só nas mãos dos homens,... não sei não...

segunda-feira, janeiro 25, 2010

aprender a viver...


Há atitudes na vida diária que se pudéssemos as apagaríamos, com toda a certeza. Mas não podemos. Por isso vamos vivendo com elas a aprendendo com as nossas atitudes. Por mais vezes que caíamos de cara no chão, por mais vezes que nos "esborrachemos" e sangremos, tornamos a fazê-lo. Faz parte da aprendizagem da vida e penso que não nos devemos arrepender, mas aprender. São os dias da vida que nos fazem sentir pequenos, com a alma vazia, com a vida gasta e sem palavras para dizer... Por isso resta levantar, erguer a cabeça e (como diz uma letra que ando a ouvir) começar a cantar uma nova canção! Uma canção que não esconda os nossos sentimentos, sejam eles de amor ou de sofrimento. Senhor, que eu seja capaz de, na minha alma vazia, escrever novos capítulos da vida!

sábado, janeiro 23, 2010

eheheheheh... "bué" de gargalhadas...

eheheheh... é o que me apetece fazer neste momento.... rir-me até cair no chão e me rebolar para todos os lados... não um riso de escárnio ou crítica (de qualquer tipo), mas daquele riso e gargalhadas que se dão por se darem, porque nos sentimos bem com elas, e porque até nos fazem viver e dão um colorido ao cinzento da vida. Sim,... acredito que muitas vezes eu faço a vida mais cinzenta do que ela realmente é. Muitas vezes deixei de ser o que Deus quer que eu seja, para ser algo que os homens querem que eu seja. Por isso rio-me de tão parvo (pequeno) de espírito que fui por vezes... de ser o que outros querem e não o que Deus quer! Muitas vezes falo de uma imagem que tenho (e que gostaria de ampliar para pôr e oferecer como tela/quadro a muita gente) Deus que se ri. Deus não é um ser poderoso e castigador, mas Ele bem se deve rir das "asneiras" que fazemos por burrice nossa. Sim, burrice. Onde já se viu ser o que quer a humanidade e não o que Ele quer?! Hoje rio-me com ele,... com todo o sentimento que tráz um bom sorriso e uma boa gargalhada.

como me sinto...


sexta-feira, janeiro 22, 2010

saltar na vida...


Mais um dia está a decorrer (ainda). Mais um abraço à vida,... mais um mergulho de cabeça,... é assim! Se realmente desejamos algo, "temos de correr atrás" senão ficamos de mãos abanar e de coração vazio. Nada melhor do que um salto na vida para despertar para o que ela realmente é e que nos convida a ser. Há muitas dificuldades no mundo (por exemplo neste tempo presente temos o nosso pensamento no Haiti), mas também muitas dificuldades também na casa do lado e na nossa casa. Lamentamos-nos por muita coisa e hoje desafio-me (a todos) a tentarmos dar o salto na nossa vida e a não optar pelo caminho mais fácil, mas pelo caminho que conduz à real e verdadeira felicidade. Por isto hoje salto, e todos poderíamos saltar, para continuar a abanar a vida. Pode parecer difícil, por vezes até sem um horizonte de esperança à frente, mas é a vida que temos e é a vida que temos que abanamos e que com ela temos de vibrar.

quinta-feira, janeiro 21, 2010

como borboletas numa flor...


Tantas coisas que podem ser transmitidas através de palavras... hoje só me apetece dizer BUMMMM. Enchemos a vida de sentimentos profundos e há momentos que queremos partilhar e não temos com quem. Vamos enchendo, enchendo, enchendo,... até rebentar! Mas será bom que antes de rebentar saibamos partilhar um pouco da nossa vida. Por isso a outra palavra (esta mais extensa) que hoje digo é COMPREENSÃO. Para que outros ouçam o nosso "bum" também devem estar vestidos com "compreensão". Deixemos que o mundo seja feliz como o mundo pode ser. O mundo só é feliz no turbilhão de sentimentos que rebentam de dentro de todos nós (bons sentimentos) e se espalham pelo nosso redor como uma flor quando é abanada pela borboleta e espalha um pouco do seu pólen à volta. Mesmo quando nos sentimos sós, ... sem ninguém que nos ouça,... sem ninguém que nos dê a mão até estas ficarem gastas,... desafio-me (a todos) a continuar a mergulhar de cabeça porque o que quer que abanemos pode distribuir bons sentimentos para os que nos rodeiam!

quarta-feira, janeiro 20, 2010

atira-te de cabeça para a vida!

Quero,... tem de ser,... e tem de ser assim,... só pode ser como eu quero,... se não for fico zangado(a),... já começo a ficar farto deste tipo de expressões. Será que não se poderá acolher e abrir a nossa vida à novidade? Porque não viver simplesmente? Porque não viver a vida? Será que tudo tem de ser à nossa imagem e semelhança e não pode ser vivido à imagem e semelhança uns dos outros?
Amigos e amigas deste espaço,... isto é mais um desabafo do que vai cá dentro. Gostar por gostar não é Gostar! Amar por amar não é Amar! Procurar por procurar não é Aventura! Ser por ser não é Existir! Porque não fazer e agir diariamente com sentido do saber o que se faz no espírito de gostar do que se é e faz, de amar o que está e quem está ao nosso redor, de procurar ser feliz com o risco de algumas vezes cairmos e sofrermos, e de ser ser o que é que não é porque se é simplesmente? Não deixo nenhuma interrogação para mim no ar porque tenho a certeza que a vida é muito curta para não nos atirarmos de cabeça para ela. Sim. Ao contrário do que muitos pensam hoje dou este grito: Vou atirar-me, ainda com mais força, de cabeça para a vida! Ela vale a pena!

terça-feira, janeiro 19, 2010

fala-se de amor e o sentimento de amar?

Já houve alguém que me perguntou porque não escrevo mais regularmente,... será que lhe faltam ideias? penso que não é por falta de ideias, nem por falta de sentimentos para partilhar. Este lugar é uma partilha de sentimentos... pelo menos para mim é o que é. e o que partilhar hoje?

Fala-se tanto de amor... mas fala-se tanto tanto de amor,... já há uns tempo tenho pensado em "como se sente o amor". Falar do que é o amor e o que ele pode representar penso que até pode ser fácil... mas pensar e transmitir a ideia do que se sente do e no amor? Amar é muita coisa, mas é acima de tudo sentir a verdade e a sinceridade da reciprocidade do que está "do outro lado". Sentir o amor é não guardá-lo simplesmente dentro de mim mas partilhá-lo com "o outro". Mas que fazer se damos este sentimento e não recebemos nada em troca? (pergunta alguém) Não tenho resposta certa para isto. Eu tento continuar a dá-lo sem esperar nada do "outro". (isto é muito sofrimento, também diz alguém) É verdade, mas de que é feita a vida senão de uma explosão de sentimentos que acontecem no interior de nós e que podem explodir a qualquer momento?



terça-feira, janeiro 05, 2010

Dar de comer


O que acontece comigo, também acontece com muita gente. Como o sei? Pelo que ouço e pelo que dou conta na realidade. Hoje dei comigo a pensar se o que faço agrada a Deus ou não. Fazem-se muitas coisas: algumas delas para cumprir calendários, outras por exigências (com ou sem sentido), outras porque se quer, outras por necessidade e outras porque Deus assim quer. Mas quais são as que Deus quer? São todas ou só algumas? Como damos conta delas?
A história do tempo que falta para fazer tudo e ainda mais alguma coisa é a desculpa do topo. Mas o tempo não será sempre o mesmo? Igual a si mesmo e ao que o comporta? Porque nos desculpamos com ele?
Também há a história do fazer aquilo que parece ser o correcto e dirigirmo-nos unicamente pelo que temos dentro das nossas cabecinhas. Pode não dar bons resultados porque nós não nos valemos a nós mesmos.
Hoje penso simplesmente se o que faço e não faço, se as forças que coloco nas actividades que realizo coloco Deus no topo, no fundo, no centro e em todos os níveis. Um novo ano se inicia e eu, pessoalmente, gostava de crescer mais "agarrado" a Deus, não porque o quero só para mim, mas porque o quero levar através de mim a quem d'Ele precisa.
Tenho neste momento no meu pensamento as palavras de Jesus aos discípulos no evangelho que lemos hoje: «Dai-lhes vós mesmos de comer». Parece que por vezes estamos tão acomodados a que Ele resolva as coisas, mas Jesus também nos pede para que com a nossa presença no mundo saibamos usar a vida (em todas as nossas capacidades) para um maior amor ao próximo.
Hoje na minha oração digo: Senhor, que eu saiba sempre dar o alimento a quem me pede!